Souvenirs do Marrocos #1 – tapetes

Tapetes em cores e padrões tradicionais expostos nos souks
Tapetes em cores e padrões tradicionais expostos nos souks

Souvenirs do Marrocos: Tapetes

Os belos tapetes coloridos, nunca podem faltar nas recordações que trazemos de Marrocos. Entre todos os artigos artesanais do Marrocos, os tapetes são os mais conhecidos e procurados. As lojas que os vendem, são as mais coloridas. Entre tapetes, almofadas e cochins, o mais difícil é a escolha.

Em todos os padrões, formas e tamanhos, antigos ou novos, os tapetes são facilmente encontrados em todas os souks do país, especialmente em Fez e Marrakech. Tradicionalmente, os tapetes são tecidos a partir de pêlos de camelo e lã mas, actualmente, também se utiliza o algodão. É sempre bom fazer uma viagem de reconhecimento por várias lojas, em seguida, voltar uma segunda vez para realmente comprar.
E sim, você vai ter de negociar.

Nas lojas, pilhas de tapetes
Nas lojas, pilhas de tapetes

Dica para o viajante: É fácil encontrar bons tapetes nas tradicionais lojas do souk mas, se quiser adquirir um artigo de grande qualidade, a loja de Ben Rahal, 28 Rue de la Liberte, é um espaço em estilo de galeria no bairro chique Gueliz, tem alguns dos melhores tapetes antigos na cidade, e uma ampla seleção de beni ouarains um padrão berbere muito em moda.

Padrão beni ouarain
Padrão beni ouarain

Hotel Sahrai, Fez

Vista do hotel, sobre a cidade de Fez
Vista do hotel, sobre a cidade de Fez

Um novo hotel em Fez, onde a história encontra o luxo e a sofisticação.
Depois de um longo dia a explorar as ruas estreitas e os souks medievais da antiga medina de Fez, não há lugar mais elegante para ficar, do que este novo Hotel Sahrai. Mais como um resort urbano do que um hotel de cidade, a propriedade fica situada sobre a Ville Nouvelle (Cidade Nova), numa colina gramada com uma gloriosa piscina de borda infinita em forma de L, em frente às antigas fortificações da cidade.

Piscina exterior
Piscina exterior

Localizado no coração do hotel, o spa Givenchy é um verdadeiro oásis de tranquilidade, beleza e relaxamento. Projetado por Patrick Ribes, o arquiteto dos spas da Casa Givenchy, ilustra perfeitamente a elegância e o luxo distintivo que encarnam o espírito na marca. Sua decoração é discreta, refinada e combina harmoniosamente com o couro, madeira, pedra e estuque tradicional da arquitetura marroquina.

Spa Givenchy
Spa Givenchy

O Hotel Sahrai tem 50 quartos em tonalidades creme, são como lofts de design minimalista, equipados com camas king size, TV de tela plana e duches envidraçados, enquanto os espaços públicos, com paredes de pedra calcária esculpidas e fontes de azulejo, são muito sensualmente marroquinos.

Quarto duplo
Quarto duplo

O hotel tem 2 restaurantes, o Relais de Paris de cozinha francesa e o Amaraz onde a cozinha marroquina é servida num ambiente tradicional, sob o brilho das lanternas de cobre.

Gastronomia, Restaurante Relais de Paris
Gastronomia, Restaurante Relais de Paris

Nota: O Hotel Sahrai inclui a lista dos melhores hotéis de 2015, pela Travel & Leisure, em 16º lugar em 45.

Café des épices

Refeições ligeiras com vista sobre a Medina
Refeições ligeiras com vista sobre a Medina

O Café des Épices situa-se na praça que lhe dá o nome, a Place des Épices. Saindo das ruelas frescas e cobertas do souk de Marrakech, entramos nesta solarenga praça que, como o nome indica, agrupa numerosas lojas que vendem as famosas especiarias. No centro, artesãs de barretes de lã e cestos de palha, dão colorido à praça.

Place des épices
Place des épices

É neste ambiente fica este famoso café, de paragem obrigatória para todos os turistas que visitam a Medina, para um refrescante chá de menta, um sumo de fruta natural ou uma refeição ligeira. Seja no piso térreo, a apreciar a vida da praça, ou no terraço sob os telhados da Medina, este simpático café convida a uma pausa entre compras.

De estilo descontraído, com uma decoração simples com apontamentos do artesanato marroquino, este café é o sítio ideal para conhecer pessoas ou, simplesmente, ficar a apreciar.

Café des épices, detalhes
Café des épices, detalhes

Dica para o viajante: sugerimos a sandwich vegetariana, de abacate e tomate, azeitonas e um sumo de fruta fresca. No terraço, ao fim da tarde, é obrigatório o chá de menta

Bijutaria e jóias marroquinas

Bijutaria marroquina de design moderno
Bijutaria marroquina de design moderno

Bijutaria e jóias marroquinas.

Todos os viajantes se perdem com o artesanato marroquino.
Todas as viajantes se encantam com as jóias marroquinas.
Seja bijutaria de moderno design, ou jóias tradicionais da cultura marroquina, são habitualmente feitas de metais trabalhados, pedras coloridas, âmbar, corais, pele e lã. As antigas jóias berberes servem de inspiração para as criações mais modernas. Nos souks de qualquer cidade do Marrocos, há inúmeras lojas que vendem colares, brincos e pulseiras que podem ser adquiridos a preços muito em conta ou verdadeiras jóias antigas, dignas de ficarem expostas em um qualquer lugar de destaque, a preços mais difíceis de alcançar.

Uma dica para o viajante: se é daquelas pessoas que necessita de alguma tranquilidade para fazer as suas compras, sem o bulício de mercado, sem a pressão do vendedor, aconselhamos uma visita a Khartit Mustapha, 3 Fhal Chidmi, Rue Mouassine – Marrakech, onde a única dificuldade que vai encontrar, é decidir o que comprar.

Jóias berberes tradicionais
Jóias berberes tradicionais

A Raposa do deserto ou Feneco

Feneco ou raposa do deserto
A Raposa do deserto ou Feneco

Animal de pequenas dimensões, apesar de ter orelhas de cerca de 15 cm, para perder facilmente calor. O seu pelo tem cor de areia para ajudá-lo a se esconder no deserto. Outra utilidade de seu pelo é ajudar o feneco a refletir os raios de sol durante o dia e conservar o calor durante a noite.
A comida no deserto é rara e, por isso, quase todas as formas de vida do deserto servem de alimento para o feneco e sua única fonte de água vem dos alimentos, podendo passar longos períodos sem ingerir nenhum líquido.
Atualmente, o feneco, é também um animal de estimação.

Feneco, animal de estimação, no Marrocos
Feneco, animal de estimação, no Marrocos

Comércio de rua

Camelô, vendendo seus produtos na rua
Camelô, vendendo seus produtos na rua

Em Marrocos, o comércio é uma realidade mais do que em qualquer outro lugar do planeta. O marroquino é um comerciante por natureza, e o comércio de rua é uma atividade que prolifera em todas as cidades, aldeias e estradas marroquinas. Desde produtos alimentares, a artesanato, tudo pode ser vendido. Estes camelôs, enquanto esperam pacientemente por clientes, enchem as ruas de cores e de cheiros. Muitos vendem os seus produtos agrícolas, como vegetais e frutas. São produtos frescos e de boa qualidade. Como qualquer comerciante marroquino, o camelô, também negoceia o preço com os seus clientes, sejam turistas ou habitantes locais. Esta atividade comercial é importante para a subsistência das famílias com menores recursos e é frequente que sejam os mais idosos da família a ocuparem o seu dia junto de suas pequenas bancas. Como o turista, nunca deixo de comprar um saco de laranjas ou de tâmaras, para ir comendo ao longo do dia, enquanto percorro as movimentadas ruas dos souks marroquinos.

Uma dica para o viajante: em Marrakech, junto à Praça Jemaa El Fna há muitas senhoras que vendem umas bolachinhas caseiras, de coco, que são uma verdadeira delícia. Não deixe de experimentar e eu sei que vai voltar no dia seguinte, para mais bolachinhas.

As muralhas de Marrakech

Les remparts de Marrakech au coucher du soleil. http://www.visoterra.com

Marrakech é conhecida como a “Cidade Vermelha”, a cor da terra deste lugar, que foi e ainda é usada para a construção de vários edifícios da cidade. Um dos principais símbolos desta cidade imperial são as muralhas que rodeiam a Medina, a cidade velha. São vermelhas, feitos terra, cal, montados em uma moldura de madeira.

As muralhas, que cercam toda a cidade velha com seus 19 km de comprimento e uma altura de 6 a 8 m, 22 portões para pessoas e veículos, tinham como principal função impedir a entrada dos inimigos, dentro da cidade. Algumas das suas portas, mantiveram o nome das tribos às quais estavam reservadas, quando estas vinham fazer comércio de produtos. É o caso de Bab Doukkala e Bab Aylen, o nome das respectivas tribos.

001Bab Doukkala

Bab Doukkala

Chefchaouen

10413363_880865841943224_840251158077211360_n

É marroquina, a cidade mais azul do mundo.
O hábito de pintar as casas de azul surgiu do povo judeu que morou exilado em Chefchaouen na década de 30. Como parte da sua tradição, eles pintavam as casas de azul, lembrando que Deus e o céu estão acima de tudo. E mesmo que os judeus, atualmente, não sejam a maioria na cidade, a população mantém o hábito de pintar a cidade na linda cor índigo.

Fez, a arte de zellige

 

1Fez-azulejos

Ainda em Fez, a cidade da arte do zellige – é um tipo de mosaico cerâmico, constituído por um ladrilho de terracota com pequenas placas esmaltadas dispostas de forma geométrica. É característico da arquitetura marroquina, onde é usado como ornamento de paredes, tetos, fontes, pavimentos, lagos, mesas, etc.

Tipicamente, o zellige  usa uma série de motivos geométricos coloridos. Esta forma de expressão surgiu da necessidade dos artistas islâmicos de criar decorações espaciais evitando a representação de seres vivos, que é proibida pela lei islâmica.

 

Medina de Fez

01Fez-medina1

Medina de Fez, 1200 anos
É a mais antiga das capitais imperiais marroquinas e a cidade medieval maior e mais bem preservada do mundo árabe. Neste emaranhado de ruas, à primeira vista desorganizado, vai encontrar um comércio muito ativo, mesquitas, fontes de água corrente, a mais antiga universidade do mundo, palácios de arquitetura tradicional, madrassas e artesãos. E sobre tudo isto, iremos falar aqui.